Cerca de 17 minutos

Conhece a ti mesmo. Esta máxima é tão antiga que não se sabe exatamente quem foi que a proferiu pela primeira vez. Sabe-se que ela estava registrada no pátio do templo do deus Apolo em Delfos, na Grécia, uma região que é povoada desde o tempo da pedra polida lá por uns 3.000 a.C. Sua antiguidade demonstra que desde sempre os sábios conheciam a importância do autoconhecimento.

Mesmo sendo um ensinamento conhecido a milênios, não poderia ser menos atual. Na sociedade contemporânea, a necessidade de conhecer a si mesmo tornou-se um fator preponderante que afeta a saúde física e mental, o equilíbrio e a felicidade do indivíduo, e até mesmo determinante do sucesso profissional. Por todos os lados se fala da importância do autoconhecimento. Mesmo assim, para muitos ele ainda continua sendo um mistério. Algo incompreendido.

Autoconhecimento é investigar-se e buscar encontrar a sua verdade para perguntas como: Como eu sou? Como eu ajo? Como eu reajo? Como eu penso? Como eu me sinto? De que eu gosto? De que eu não gosto? Onde estou na vida? Onde quero chegar na vida? Entre inúmeras outras.

É um caminho estreito e íngreme, uma caminhada que não é fácil. É necessário atenção para não escorregar e cair em seus precipícios. A subida é cansativa e precisa ser feita devagar. Ainda assim, quem já subiu uma montanha sabe que do topo a vista é a mais bonita. Quando chegamos lá, percebemos que todo o esforço do caminho valeu a pena e nos sentimos bem por não ter desistido na metade.

A diferença é que no autoconhecimento você nunca chega no topo da montanha!

A beleza de ser incompleto

Somos eternos incompletos. Estamos em constante mudança, em constante transformação, em constante construção. Você cria a você mesmo a cada dia por meio de cada pensamento, sentimento, palavra e ação que tem. Cada vez que escolhe um pensamento e deixa outro de lado, cria algo em você. Cada vez que decide que gosta de uma coisa e não gosta de outra, delimita os contornos de quem você é. Toda vez que escolhe como reagir a uma situação, reforça como irá reagir a situações semelhantes pelo resto de sua vida.

Há uma beleza imensa em ser incompleto, em nunca ser capaz de se conhecer integralmente. Quanto mais você se aprofunda mais descobre sua própria complexidade. O fato de nunca estarmos completos também nos diz que nunca estaremos fixos, que sempre estamos mudando, e isto quer dizer que sempre podemos melhorar e crescer. A beleza de ser incompleto é poder se tornar melhor a cada dia. A cada dia descobrir uma faceta de quem você é e de quem gostaria de ser, e fazer algo para se aproximar mais da melhor versão que já existiu de você.

Autoconhecimento é amor próprio

Para se aventurar pelos caminhos do autoconhecimento é imprescindível se amar. Quem não ama a si mesmo dificilmente terá a determinação de fazer o esforço necessário para deixar de ser quem é, e se transformar na pessoa que deseja ser. Quem não se ama terá muita dificuldade de abrir mão de algumas coisas, como por exemplo, trocar hábitos nocivos por hábitos salutares.

Conhecer-se é um dos maiores atos de amor próprio que alguém pode realizar. Quando você começa a entender como funciona, começa a saber o que lhe faz feliz, e pode oferecer mais felicidade a si mesmo. Você começa a saber o que lhe faz mal, e pode evitar um monte de coisas que lhe prejudicam, pois ninguém em sã consciência faz algo com o objetivo de se maltratar. O descaso com as consequências é desconhecimento das causas. Quanto mais você se conhece, mais cuida de si, de seu corpo, mente e espírito, e eles lhe respondem com saúde, felicidade, realização e transcendência.

É necessário se amar, pois autoconhecimento não é um caminho fácil. No caminho você irá enfrentar feras em batalhas épicas, e ao vencer, será transformado. É como no filme O Senhor dos Anéis, Gandalf mergulha em um abismo lutando contra um Balrog para salvar seus companheiros de jornada. Após uma longa batalha ele enfim derrota o Balrog e desfalece no topo de uma montanha nevada. Porém, sua missão não estava acabada e ele é chamado de volta a consciência. Não mais como Gandalf “o cinzento”, mas como Gandalf “o branco”. Ao retornar é mais poderoso e mais sábio, e está em melhores condições de ajudar seus companheiros no restante da jornada.

Gandalf é você. O Balrog é a inconsciência de quem realmente é, que coloca tudo ao redor em perigo. A batalha é o caminho do autoconhecimento. O cinzento é quem você era, o branco é quem você se torna. Os companheiros de viagem são todos que estão ao seu lado, e que terão a oportunidade de seguir na jornada da vida com a sua nova versão.

Mas não se engane, Gandalf matou um Balrog. Nós enfrentamos muitos.

Por que se conhecer?

Pode parecer uma pergunta quase desnecessária. Apenas a perspectiva de passar a vida inteira sem saber direito o que nos faz feliz, o que nos motiva e nos move, pode parecer motivo suficiente. Mas além disso, no caminho do autoconhecimento encontraremos o ego. Ele é o personagem que assumimos quando entramos nesta vida, e quando não nos conhecemos bem, assume vida própria. O ego já arruinou carreiras, iniciou guerras, causou genocídios e destruiu fortunas.

O ego é um de nossos piores inimigos. É um inimigo que está muito perto e quanto mais perto de nós algo está, mais difícil é para reconhece-lo. Ele está sempre presente, participando de todas as suas ações e pensamentos. Ele está tão perto que chegamos a acreditar que ele faz parte de nós e que nós somos na verdade, ele.

Porém, para que o ego mantenha sua vida e seu poder sobre nós, ele precisa agir com mão de ferro. Suas ferramentas e táticas são terríveis. Medos, ansiedade, angústias, auto sabotagem, autocrítica. O ego pode destruir todas as suas chances de atingir qualquer objetivo se perceber que pode perder o controle. Ele pode sabotar as suas melhores intenções no caminho do seu desenvolvimento pessoal, destruir sua saúde, relacionamentos, carreira e tudo o mais.

O autoconhecimento é um remédio homeopático contra o ego. Ele age devagar, e, portanto, não chama tanta a atenção do ego. É como a água da chuva que ao longo de milhares de anos dissolve a rocha e a transforma na branca areia da praia. Aos poucos o ego perde força e a sua verdadeira identidade começa a despontar. Você reconhece quem você realmente é.

Você é único, e por isso é especial

Cada ser humano que existe ou já existiu na superfície da Terra é único. Cada um é a soma de absolutamente tudo pelo que passou, de todo o contexto e de todas as experiências. São elas que constroem a forma como cada ser verá a realidade, que constroem a sua verdade. Mais do que apenas as experiências vividas nesta vida, trazemos características inatas que remontam a inúmeras vidas passadas. Vidas felizes e vidas sofridas. Vidas de abundância e vidas de escassez. Cada uma adicionando pequenas pinceladas para pintar o magnifico quadro que é a perspectiva pessoal de cada ser que existe.

No DNA de nossos corpos carregamos uma quantidade imensa de informações. Herdamos o DNA de nossos ancestrais e junto a história e as experiências deles. Muitos dos comportamentos e atitudes, hábitos e vícios, forças e fraquezas que eles possuíam foram consolidadas para formar o corpo que você agora habita.

Quando você encarnou nesta maravilhosa máquina chamada corpo humano, se tornou a ponta de um galho de uma imensa árvore genealógica. Como o último daquele galho, você herdou a versão mais atualizada do DNA da árvore inteira. Um de nossos papéis aqui encarnados é ajudar a aprimorar a genética da raça humana. Seus pensamentos e emoções alteram o seu DNA, e a ciência já comprovou isto.

Quando você em sua jornada de autoconhecimento muda algo em si, você muda algo em seu DNA. Ao fazer isso você “limpa” (ou suja) o DNA herdado de sua árvore genealógica. É desta forma que cada um de nós contribui para o aperfeiçoamento genético da raça humana. Mais do que isso, estamos todos interligados atomicamente e quando você muda algo no seu DNA, você afeta o DNA de todos os que estão ligados a você, para baixo ou para cima em sua árvore.

Quando você se cura, cura seus pais, avós e filhos também. Quando você muda um hábito, você torna mais fácil para eles mudarem também. É por isso que é comum observar mudanças acontecendo naturalmente em nossa família quando nós mudamos em nós algo que herdamos de nossa linhagem. Quando você se melhora, você se torna mais valioso geneticamente para o futuro da humanidade, e a natureza recompensa generosamente aqueles que a ajudam a seguir seu caminho de evolução e aperfeiçoamento.

Seu espírito é a versão integral de quem você é de verdade, seu “eu maior”, “eu superior” ou “eu interior”. Quando você encarna não vem para cá por completo, apenas uma pequena parte de sua consciência chega até aqui e o restante permanece atrás de um véu. Esta pequena parte que é você agora, herda características junto com o corpo que recebe de presente e as mescla com aquelas que traz consigo. Enquanto vive, você modifica estas características por meio de experiências, pensamentos, sentimentos, palavras e ações. A soma de tudo isso compõe esta obra maravilhosa e única que é você.

Quando partimos, deixamos nos filhos a herança do DNA melhorado ou piorado e levamos conosco apenas os aprendizados do espírito, nossa evolução moral e intelectual. Por isso Jesus em seu famoso sermão do monte disse para ‘armazenar tesouros no céu’ durante a jornada na Terra. É por meio do autoconhecimento que começamos a identificar o que em nós vem de onde, da matéria ou do espírito, se é nosso ou é herança. O que serve e o que não serve, o que fica e o que vai.

Percebe sua importância para a Terra e para toda a humanidade? Entende a importância do autoconhecimento? Compreende o quão único você é?

Por onde começar

Por sermos absolutamente únicos, o caminho será diferente para cada um. Para cada ser uma determinada ferramenta, técnica ou formato será mais eficiente. É ao longo do caminho que você começa a descobrir o que serve melhor para você em cada momento e para cada tema. É necessário um pouco de autoconhecimento para descobrir como se conhecer!

Mas, como resolver este paradoxo? Lembre-se que o seu eu maior sabe absolutamente tudo sobre você, ele lhe ama incondicionalmente e espera que você aproveite ao máximo sua estada aqui, fazendo tudo que pode para que isso aconteça. Ele é você e está sempre com você, em você. O pequeno pedaço de consciência que está aqui encarnado no corpo é que está sujeito ao véu que nos faz esquecer disso, e por isso desenvolver a espiritualidade é tão importante. O espírito não está sujeito as limitações do espaço e do tempo. Ele conhece todo o seu passado, todas as possibilidades futuras e sabe como chegar a qualquer lugar a partir de onde você está. Para que ele lhe oriente, basta você desejar, pedir e permitir.

O primeiro passo no caminho do autoconhecimento é assumir um compromisso verdadeiro com você mesmo. Você precisa decidir de coração que você deseja se conhecer, que você quer se melhorar e que quer se tornar a melhor versão de si mesmo. Isto é tudo que precisa para começar. Vivemos sobre o efeito da Lei da Atração e quando você firma este compromisso, o melhor caminho para o seu desenvolvimento irá vir ao seu encontro.

Quando você toma a firme decisão, seu eu maior começa a trazer a sua consciência ideias, memórias, sentimentos, imagens, ou qualquer outro sinal que servirá para lhe orientar. Seu papel a partir de então é o de aprender a dar atenção a sua intuição, a ouvir a sua voz interior. Você precisa aprender a entender os sinais, a compreender as mensagens que eles carregam. É como em um jogo de mímicas onde você precisa aprender a extrair significado de imagens, pensamentos, sentimentos, sincronicidades e outras coisas que seu eu maior irá utilizar para lhe conduzir.

Lembre-se das palavras do gênio, seu desejo é uma ordem!

A ferramenta mais importante

Talvez a ferramenta mais importante em toda a jornada do autoconhecimento seja a auto-observação. Para nos conhecermos é necessário nos observarmos muito. É necessário praticar a atenção à sua mente e ao seu corpo, ao seu interior e ao seu exterior. Se você não consegue manter a atenção em algo por um mínimo de tempo e refletir sobre ele para ver além, ficará preso nas respostas pré-concebidas, julgamentos rasos e preconceitos do ego. Ele não deseja que você se aprofunde, ele sabe que quanto mais você se conhece, menos força ele tem.

Treinar a atenção é primordial. Quanto mais desenvolver a atenção, melhor conseguirá se observar. Por isso a meditação tem um papel tão importante nos caminhos de desenvolvimento pessoal e espiritual. O silêncio e a solitude são outras ferramentas que ajudam a desenvolver a atenção. Não é necessário se isolar da sociedade, mas ter momentos de solidão e reflexão. Buscar um pouco de silêncio no interior e no exterior é importante para que você possa ouvir mais profundamente. Se sua atenção estiver o tempo todo no que está ao seu redor e fora, será pouco provável que você consiga dar atenção aos seus pensamentos e emoções, ao que está dentro.

Você precisará praticar estar no agora. Isto significa aumentar a consciência sobre o momento presente. Sua consciência só existe no agora, o futuro e o passado só existem na mente. Quando você pensa no futuro, seu ser está no agora, mas a sua atenção, seu foco, estão longe. Quantas vezes nos pegamos olhando fixamente para o nada, perdidos em pensamentos? Isto é o oposto de estar no agora. Praticar a atenção plena, o mindfulness, ajudará a se manter mais presente no agora. E quanto mais no agora você estiver, mais fácil será se observar.

Quando você está no agora, consegue perceber a natureza de seus pensamentos. Se eles são positivos ou não, se lhe fazem sentir bem ou não, se são de amor e compreensão ou de raiva e vingança. Consegue perceber os sentimentos que surgem de pensamentos e situações, e consegue perceber de que forma este sentimento afeta os seus pensamentos, ações e reações. Quanto mais no agora você estiver, mais poderá se observar e quando você começa a se observar, o autoconhecimento começa a brotar em você como uma semente a caminho de se tornar uma bela flor.

Um caminho sem fim e sem volta

Quando você toma a firme decisão de se conhecer, seu espírito exclama “já era hora!” Ele deseja que você tome esta atitude pois o seu desenvolvimento é o desenvolvimento do espírito, e é por isso que estamos todos aqui. Não viemos aqui para trabalhar a semana inteira e nos divertir no final de semana. Isto faz parte da experiência, mas não é o objetivo. Viemos aqui para evoluir e isso se faz por meio do autoconhecimento. Quando você muda o foco de sua vida para sua evolução pessoal, o trabalho, a diversão e tudo ao seu redor se transforma. A vida fica mais leve, mais fluída, mais divertida e recompensadora.

Pratique a atenção e se observe. Observe quem você é quando está sozinho, o que você faz quando ninguém está olhando. Busque conhecer seus valores e o que é realmente importante para você. Identifique o que lhe motiva e lhe faz levantar sorrindo da cama pela manhã, descubra o que lhe interessa e lhe estimula a curiosidade. Descubra o que você faz que lhe energiza e o que você faz que lhe deixa exausto. Identifique pontos fortes e pontos fracos, reflita como pode valorizar os pontos fortes e minimizar os impactos dos pontos fracos.

Faça uma reflexão honesta sobre sua vida até agora. A pior mentira é a que você conta para você mesmo. No caminho do autoconhecimento, descobrimos invariavelmente que contamos várias mentiras para nós mesmos. Que escondemos coisas de nós mesmos, que temos vergonha de algumas coisas em nós. É nestas horas que o amor próprio é ainda mais importante.

Você descobrirá coisas que não vão lhe deixar feliz, mas com honestidade e aceitação pela verdade, elas lhe servirão para crescer. Acima de tudo, perdoe generosamente a si mesmo por qualquer decisão do passado que julgue errada, por qualquer coisa que tenha feito ou deixado de fazer. Você fez o melhor que podia naquele momento com o que tinha e como quem era. Só agora é capaz de perceber que poderia ter sido diferente. E esta percepção que é autoconhecimento, é crescimento, é isto que você busca. Fique feliz sempre que encontrar algo em você de que não se orgulha, é isto mesmo que você precisa para descobrir para poder mudar e evoluir.

A maior parte do autoconhecimento consiste em trazer a consciência coisas que estão escondidas, rejeitadas, negadas. Quando algo que era negado é trazido a consciência, é possível aceita e perdoar. Assim ele perde a força que tinha em lhe afetar. Escrever ajuda imensamente a trazer a consciência diversos assuntos. Escreva livremente sobre o seu passado, sobre as experiências que gostou e especialmente sobre as que não gostou, sobre as memórias felizes e as memórias tristes e traumas. Coloque seus sentimentos em palavras, isto ajuda a entender o que realmente acontece dentro de você.

Escreva uma carta detalhando onde você realmente está em sua vida. Seja totalmente aberto e honesto sobre o que não gosta nela, onde as coisas não estão andando como gostaria. Escreva uma outra carta sobre onde gostaria de estar, quem você gostaria de ser e como sua vida será quando você se transformar nesta pessoa. Como ela age, o que pensa e como se sente. Destrua a carta com seu momento atual e releia constantemente a carta sobre quem quer ser.

Existem inúmeras ferramentas de autoconhecimento que podem ajudar, sejam elas científicas ou esotéricas. Você será guiado a aquilo que melhor servir a você e as suas crenças, esteja atento e observe as sincronicidades que acontecerão. Pode ser um Coach, um conselheiro, um psicólogo ou terapeuta. Testes de personalidade ou ferramentas de avaliação. Um astrólogo, tarólogo ou outros oráculos. Uma consulta aos guias espirituais ou na orientação dos anjos. Hipnose e terapia de vidas passadas. Um livro, uma conversa, uma pessoa ou um lugar.

Somente quando você der o primeiro passo poderá conhecer as próximas etapas no caminho.

Equilíbrio acima de tudo

Busque sempre o equilíbrio, ele é fundamental para tudo na sua vida. Ao longo do caminho muitas vezes você irá perceber onde as coisas não estão equilibradas, onde tem dado muita atenção e onde tem dado pouca. Precisará trabalhar corpo, mente e espírito separadamente para encontrar o equilíbrio. Para cada um, uma ferramenta diferente será a mais adequada. Teste e descubra o que lhe faz bem. Explore e divirta-se pelo caminho.

Para o seu corpo, busque desenvolver a consciência corporal. Isto significa ganhar consciência sobre o que está acontecendo em cada parte do seu corpo. Seu corpo é seu melhor amigo e lhe dá indicadores precisos do que está fora de equilíbrio. Aprenda a sentir e compreender as emoções, elas são uma bússola da máxima importância e apontam o grau de alinhamento entre sua versão encarnada e sua versão integral. Sentimentos desagradáveis e pesados indicam desalinhamento, e sentimentos de plenitude e felicidade indicam alinhamento. Se o sentimento não for bom, mude a forma de encarar as coisas e os pensamentos, encontre o que produz boas emoções. Nossa natureza é o amor e a felicidade e quanto mais observarmos os sentimentos, mais conseguimos perceber onde melhorar.

Movimente seu corpo. Tudo no universo se move e você faz parte do universo. Isto é essencial também para prepara-lo para a meditação. Esteja em contato com a natureza, ela fornece elementos que seu corpo precisa para funcionar melhor. O corpo armazena emoções que foram reprimidas, aprenda a identificar e a liberar esta energia.

Quanto a sua mente, analise o conteúdo dela, com o que você gasta a maior parte de sua energia mental. É com preocupações do futuro ou com desilusões do passado? Como andam seus pensamentos? São positivos e elevam, ou são negativos e pesados? Você consegue manter a positividade diante dos fatos da vida, mesmo quando as coisas não vão bem? Quais são as suas crenças? Elas lhe limitam ou lhe empoderam? Quais são os padrões de pensamento que dominam sua vida? Busque conhecer as suas sombras, aquilo que esconde de si mesmo.

Não esqueça de seu espírito. Se esforçar para ter um corpo e uma mente saudáveis lhe colocarão mais em contato com o seu espírito, desenvolverá sua espiritualidade. Quando o corpo e a mente estão em equilíbrio, há espaço para o espírito se fazer presente e se manifestar. Estude sobre as filosofias ou religiões. Se sentir afinidade pratique alguma. Se preferir, faça seus próprios rituais, tenha seu altar e peça apoio constante de seu eu maior, de seus guias e de todos os seres de luz que estão ao nosso redor querendo ajudar.

Lembre-se de que quando você cresce e se desenvolve a humanidade inteira cresce junto, e é por isso que a espiritualidade está presente constantemente ao longo de toda a história humana. Temos o livre arbítrio e por isso ela não pode se manifestar de forma direta e afetar nossas escolhas, mas seu apoio e orientação é constante em nossa intuição. Quanto mais você reforçar esta conexão, mais forte será a ajuda recebida, pois só é possível ajudar quem deseja receber ajuda. E a ajuda chegará de todos os lados.

Pratique o poder da gratidão, ela mudará a sua vida. Siga seu coração sempre. Sempre!

Você já venceu

Pegue leve consigo mesmo. A autocrítica é arma do ego e pode ser destrutiva em vez de construtiva. Ter contato com as sombras pode assustar no começo e você pode pensar que está indo para trás em vez de ir para frente. Você pode passar pelo que é chamado de “noite escura da alma” e se sentir desconectado de tudo, sozinho, abandonado. Pode se sentir a pior pessoa do mundo e ter medo ou vergonha de você mesmo por descobrir certas coisas que escondia. Não se assuste e não tenha medo. Se isto acontecer é porque está no caminho certo. Seja forte e confie em seu poder. Estas são as dores do parto de um novo eu, e este período é breve.

Logo a luz brilhará novamente e você se sentirá incrível. Não há sentimento melhor do que deitar para dormir e saber que você reconheceu um pouco mais de você mesmo naquele dia. Que está se tornando um pouco melhor a cada dia. Que está se tornando a sua melhor versão. Que está mais perto de ser a pessoa que sempre sonhou ser, que está cada dia mais próximo de seus objetivos. Que a jornada começou e que você já venceu, pois não existem obstáculos para o poder que você guarda dentro de si.

É por isso que estamos aqui, é por isso que estamos juntos!

Diogo Luiz Miranda

Diogo Luiz Miranda

A mudança que queremos ver no mundo começa em nós, por isso compartilho ideias sobre autoconhecimento, espiritualidade e o novo pensamento.

Deixe um comentário

Todos os comentários são moderados e aparecem no site somente após aprovação. Conheça os critérios