Cerca de 8 minutos

A Organização Mundial da Saúde (OMS) define saúde como sendo “um estado dinâmico de completo bem-estar físico, mental, espiritual e social, e não meramente a ausência de doença ou enfermidade.” A inclusão da dimensão espiritual nesta definição aconteceu apenas em 1998, até então ela considerava apenas o físico, mental e social. Ao definir que saúde é completo bem-estar e especificar em que áreas que este bem-estar acontece, fica implícito que para que haja saúde é necessário equilíbrio entre corpo (físico), mente (mental) e espírito (espiritual e social).

Tudo que existe no universo faz parte de um sistema maior, e nós não somos diferentes. Cada célula em nossos corpos faz parte de diversos sistemas complexos que em sua totalidade compõem o que chamamos de corpo humano. Nós enquanto pessoas fazemos parte de diversos sistemas que compõem as populações e estas participam de outros sistemas maiores que compõem a civilização humana. Assim é a Terra no sistema solar, o sistema solar na galáxia, a galáxia no universo. E todo sistema só funciona em harmonia quanto todos os seus componentes estão em equilíbrio.

Nós fazemos parte da natureza e nossa existência depende dela, mas somos a única criatura que existe na natureza e que não consegue se autorregular para viver em total equilíbrio com o meio ambiente. Todas as plantas e animais se regulam e vivem em harmonia com seu habitat, porém os seres humanos não fazem isso, e basicamente o motivo de isto acontecer é que nós temos o livre arbítrio para decidir o que queremos fazer.

Tomamos centenas de decisões todos os dias. A maioria delas sequer estamos cientes de que estão sendo tomadas, e acontecem automaticamente na mente subconsciente que foi treinada durante toda a nossa vida para agir de determinadas formas, e que muitas vezes são totalmente prejudiciais para nós mesmos. Nós só tomamos decisões conscientes sobre aquilo que é objeto de nossa atenção. Para todo o resto que está fora do nosso campo de atenção o subconsciente toma as decisões por conta própria, ou o assunto é simplesmente ignorado e deixa de fazer parte de nossa percepção.

O singular da faculdade da atenção é que só é possível direciona-la a uma única coisa de cada vez. Se você está lidando com duas coisas ao mesmo tempo, a atenção é alternada de uma para a outra constantemente, mas em cada momento sua atenção está focada em apenas uma delas. Atenção é um recurso finito, e existem milhares de coisas competindo por uma parcela dela diariamente, a imensa maioria acontecendo fora de nós. Existem também coisas dentro de nós que necessitam de atenção, e quando não damos a atenção necessária para o que está dentro, logo algo se desequilibra, e desequilíbrio resulta na falta de saúde, na falta de bem-estar.

Se tornar uma pessoa saudável e que desfruta de completo bem-estar, exige que façamos um esforço consciente para direcionar um pouco de nossa atenção ao corpo, a mente e ao espírito, de forma a mantê-los em equilíbrio.

Utilizando a ferramenta da auto-observação e buscando aumentar nosso autoconhecimento, podemos passar a tomar melhores decisões que afetem positivamente a nossa vida.

Todo mundo sabe o que é “ser saudável”

Hoje em dia existe tanta informação disponível que provavelmente todo mundo saiba mais ou menos o que é necessário para manter a saúde do corpo. Dormir bem, se alimentar de forma equilibrada, realizar exercícios físicos, não fumar, evitar álcool, açúcares, gorduras e produtos industrializados são exemplos básicos. Mesmo assim, uma boa parcela da população simplesmente ignora toda a informação que tem disponível e literalmente maltratam o próprio corpo. Outros ainda tratam do corpo físico mas ignoram a saúde da mente e do espírito.

Mais do que saber o que comer e o que não comer, ser saudável exige mudanças muito mais profundas. É necessário alterar crenças, hábitos e costumes. Desapegar de certas coisas que não ajudam e incluir na rotina outras que são mais benéficas. A mudança é um dos maiores desafios que vejo para quem busca o equilíbrio, pois mudar exige esforço e dedicação e nem todo mundo está disposto u preparado para isso.

A sociedade atual definitivamente não valoriza a saúde. A indústria da doença é uma das maiores indústrias do mundo. Muitas pessoas ainda preferem pagar caro por um plano de saúde, consultas e remédios do que se dedicar a evitar a doença. Isto infelizmente é um reflexo do que o sistema atual vende como sendo um estilo de vida normal, onde a carreira, a diversão e o consumo estão em primeiro plano e a saúde acaba ficando para trás, afinal, doença é um produto que dá muito dinheiro. Saúde não.

Seu corpo é seu melhor amigo

Na minha visão, para ser saudável é necessário ser capaz de dar atenção ao seu próprio corpo. Ele é o seu melhor amigo e lhe oferece bons indicadores de como anda o equilíbrio de todas as áreas de sua vida. Por meio da observação e percepção do corpo você consegue descobrir como está o equilíbrio de sua mente e do seu espírito. Ele lhe diz se você está comendo pouco ou muito, bem ou mal, se está dormindo pouco ou muito, se está muito sedentário, se a dieta não está equilibrada, se há emoções reprimidas, se tem trabalhado demais, se preocupado demais ou se divertido de menos.

Eu acredito que todas as doenças que se manifestam no corpo físico começam na mente e no espírito. A mente reflete o estado vibracional do espírito, quando o espírito está dedicando atenção a vibrações baixas, ele atrai para a mente pensamentos na mesma frequência e estes pensamentos produzem uma enxurrada de reações químicas que desregulam o corpo físico.

Quando este desequilíbrio químico perdura por tempo suficiente ele acaba por facilitar o aparecimento de cenários de doença e enfermidade. É o extremo necessário a que nosso corpo chega para nos chamar a atenção de que estamos fazendo algo errado, pois quando a manifestação chega no físico é difícil ignorar.

Isso se aplica da mesma forma a doenças que tem fatores externos bem conhecidos, como vírus ou bactérias por exemplo. Nosso corpo foi criado perfeito e se não fosse pelos maus tratos que infringimos a ele ninguém ficaria doente nunca. No seu estado natural somos resistentes a estes invasores e nosso sistema imunológico é capaz de evitar que eles se instalem e criem uma doença. Então quando ficamos gripados, a culpa não é do vírus, a culpa é nossa que nos descuidamos e nos enfraquecemos a um ponto em que o vírus foi capaz de afetar gravemente nosso organismo e causar uma doença.

Existem muitos livros que abordam a associação das manifestações físicas aos estados mentais e emocionais, e é bastante fácil perceber em nós mesmos o quanto eles são verdadeiros. Posso recomendar neste sentido os livros da Louise Hay, especialmente o Você Pode Curar a Sua Vida.

Buscando o equilíbrio

Quando mergulhamos no caminho do autoconhecimento e da espiritualidade, começamos a perceber mais facilmente onde estão os desequilíbrios em nossa vida. Estamos priorizando o trabalho sobre nós mesmos? Estamos buscando seguir o estilo de vida que está na moda e não o que sentimos de coração? Temos medo do futuro? Temos mágoas do passado? Ressentimentos? Raiva? Estamos presos no passado ou no futuro e ignorando o presente? Estamos tendo uma postura de vítima em relação a vida? Estamos encarando tudo de forma negativa?

São muitas as variáveis e cada pessoa precisa ser bastante honesta consigo mesma para que possa perceber onde está colocando atenção de mais e de menos. Buscar perceber os sinais que o corpo oferece, observar o estado da mente, nomear as emoções predominantes em sua vida e entender se elas estão sendo reprimidas. Como anda o seu humor? Tem estado ansioso ou preocupado constantemente? Tudo serve para compreendermos o que estamos fazendo conosco.

Será que aquela promoção no trabalho é mais importante do que sua saúde? Será que ter mais dinheiro é melhor do que ter mais tempo livre? Será que aquele problema que aconteceu a anos atrás já não deveria estar perdoado e esquecido? Será que vale a pena perder a saúde para guardar ressentimentos, mágoas, medos, frustrações?

Além dos estados mentais e emocionais, precisamos também observar com que base estamos tomando as decisões em nossa vida. Eu considero que “mereço” comer certas coisas frequentemente, mesmo sabendo que não me farão bem? Eu realmente acredito que o melhor lazer com que posso me presentear, é me intoxicar de álcool e drogas no final de semana enquanto troco o descanso pela balada? Eu não estou utilizando a comida, bebida, drogas, internet, televisão, como formas de fuga para não lidar com as minhas sombras, medos, decepções?

Costumo dizer que a pior mentira é a que contamos para nós mesmos e é necessário sermos muito honestos quando buscamos nos conhecer. Autoconhecimento não é um caminho fácil, rápido e nem agradável. Precisamos lidar com aspectos de nós mesmos que não gostamos e por isso negamos, mas quando trazemos as sombras à luz da consciência, elas perdem força e fica mais fácil lidar com elas. Enquanto permanecemos negando, somos arrastados por comportamentos que nos fazem mal sem nenhum controle.

A busca por equilíbrio começa por conhecer e observar o conteúdo de nossa mente. Nossos pensamentos quando mal administrados causam danos graves. A Lei da Atração funciona constantemente e aquilo a que você direciona sua atenção aumenta em sua vida.

Se a sua atenção está constantemente sendo direcionada aos aspectos indesejados das situações, você estará atraindo constantemente mais pensamentos que reforçam estes aspectos indesejados e criando mais situações indesejadas em sua vida. Ao experimentar as suas criações futuramente, irá sentir emoções de baixa vibração que alteram a química do seu organismo e literalmente o destroem.

Aprender a dominar a atenção e se esforçar para olhar para tudo de forma positiva lhe coloca em uma situação de maior controle, onde o foco passa a ser o que você realmente quer e aprecia, então isto é o que você experimentará mais em sua vida.

Exercer a gratidão constantemente por todas as coisas que temos também ajuda muito a reequilibrar mente e espírito e quando estes dois estão em equilíbrio, o corpo que é a manifestação física se equilibra naturalmente e se torna saudável.

As ferramentas mais importantes disponíveis para nos apoiar neste caminho são o amor próprio e o perdão. O corpo é um presente maravilhoso que recebemos e devemos amá-lo, fazendo tudo ao nosso alcance para que ele esteja sempre saudável e bem nutrido.

Precisamos nos lembrar constantemente de que ninguém é perfeito, não exigir demais de nós mesmos e nem esperar demais dos outros. Perdoar-se e aceitar integralmente todas as nossas virtudes e fraquezas nos coloca em condições de nos amarmos e só quem se ama tem a motivação necessária para se cuidar.

 

Photo by Autumn Goodman on Unsplash

Diogo Luiz Miranda

Diogo Luiz Miranda

A mudança que queremos ver no mundo começa em nós, por isso compartilho ideias sobre autoconhecimento, espiritualidade e o novo pensamento.

Deixe um comentário

Todos os comentários são moderados e aparecem no site somente após aprovação. Conheça os critérios